close

SOJA: Produtores devem cadastrar áreas que serão cultivadas para a safra 2019/2020

O estado de Rondônia se consolida na safra 2018/2019 como o terceiro maior produtor de soja da região Norte

SECOM - GOVERNO DE RONDÔNIA

16 de Agosto de 2019 às 14:14

SOJA: Produtores devem cadastrar áreas que serão cultivadas para a safra 2019/2020

FOTO: (Divulgação)

Falta menos de um mês para o fim do período conhecido como vazio sanitário da soja, época em que o cultivo dessa cultura fica proibido, para evitar a proliferação da ferrugem asiática, doença que pode causar grandes prejuízos à lavoura. Com o término do vazio e início do plantio da nova safra, começa, também, a obrigatoriedade de o produtor cadastrar as áreas de soja para a safra 2019/2020, na Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia (Idaron).

 

O cadastro é uma ferramenta muito importante para ações de defesa vegetal em Rondônia e pode ser feito nas unidades de atendimento da Agência ou pelo site da Idaron até 30 de dezembro. Na safra 2018/2019, foram cadastradas 1370 áreas produtoras de soja, mais de 300 mil hectares. A obrigatoriedade do cadastro é prevista na Instrução Normativa 001/2013. Se o produtor não cadastrar a área a ser plantada, ele pode sofrer sanções e penalidades previstas em lei.

 

 

VAZIO SANITÁRIO

 

O vazio sanitário da soja começou em 15 de junho e se estende até 15 de setembro. Jessé de Oliveira Junior, engenheiro agrônomo e gerente de defesa sanitária da Idaron esclarece que o vazio sanitário é uma medida técnica implementada para conter o avanço da ferrugem asiática nas lavouras, por um período de 90 dias.

 

Segundo ele, nesse período, o produtor deve manter a lavoura sem cultivares de soja. “O controle se dá por meio químico com o uso do dessecante ou mecânico com a utilização de grade aradora”, acentua. Essas medidas são significativas para manter uma produção sadia e com boa produtividade.

 

O produtor Cleudson Blanco Dutra, morador da linha 5, no município de Cerejeiras, cultiva 1.800 hectares por safra, com média de 68 sacas de soja por hectares na safra 2018/2019, ele comenta que já teve que lidar com a ocorrência da ferrugem asiática em sua propriedade. “Na ocasião tive que usar defensivos agrícolas para combater a infestação”, conta.

 

Além da alternância de cultura entre soja e milho, o vazio sanitário ajuda muito na redução de pragas e doenças contribuindo com a redução no uso dos agroquímicos.

 

 

SOJA EM RONDÔNIA

 

O estado de Rondônia se consolida na safra 2018/2019 como o terceiro maior produtor de soja da região Norte com mais de um milhão de toneladas, cultivados em uma área total de 333.7 mil hectares.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS