close

Governo do Estado beneficia curso de Engenharia de Pesca com convênio de R$1 milhão

Governo do Estado beneficia curso de Engenharia de Pesca com convênio de R$1 milhão

DA REDAÇÃO

19 de Janeiro de 2010 às 15:15

Governo do Estado beneficia curso de Engenharia de Pesca com convênio de R$1 milhão

FOTO: (Divulgação)

O Governador Ivo Cassol assinou na última semana, em seu gabinete, um convênio no valor de um milhão de reais entre a prefeitura de Presidente Médici e a Fundação Rio Madeira (Riomar). O valor do novo convênio será aplicado na reforma geral do campus da Universidade Federal de Rondônia em Médici e na compra de um ônibus para o transporte de alunos. Ano passado o estado havia investido R$ 300 mil para a compra de materiais para a implantação do curso de Engenharia de Pesca e Aqüicultura.
 
 Segundo o prefeito de Presidente Médici, José Ribeiro, o curso abre as portas, com a tentativa de tornar-se modelo, visto que o estado é um dos maiores produtores de pescado da Região Amazônica. “Com este curso ganha o município, o estado e o Brasil, este é o primeiro curso no país com esta proposta pedagógica. Há uma grande carência de engenheiro de pesca, agora, a demanda de profissionais será maior e vai impulsionar a pesca e a aqüicultura” afirma.
 
O Campus de Médici foi inaugurado no segundo semestre de 2009, com a aula do curso de Engenharia de Pesca e Aqüicultura para 40 acadêmicos, no primeiro semestre de 2010, mais 45 alunos iniciarão o curso. O campus está localizado na área do antigo colégio agrícola e possui uma área de aproximadamente 50 hectares, sendo que só de área destinada à piscicultura são de 12 hectares. “Temos uma área de 12 hectares coberta por água, que é usada como laboratório para a produção de alevino, mas vemos a necessidade de novos laboratórios” comenta o prefeito.
 
Primeiro Curso em Rondônia
 
Com duração de cinco anos, o curso oferecerá 45 vagas por semestre e capacitará profissionais tanto para a área de pesca quanto de aqüicultura. Presidente Médici é o primeiro município de Rondônia a ter essa especialização. O curso abre perspectiva de fomento econômico através da distribuição de pescado para o mercado nacional e internacional. “Rondônia e o Brasil tem grande potencial para a pesca e aqüicultura, temos que investir e incentivar esta área”, diz o prefeito de Médici, que complementa: “Acredito que a aqüicultura será o grande potencial do nosso estado, superando até a pecuária de corte”, enfatiza.
 
Para o Governador Ivo Cassol, Rondônia é um estado com grande vocação econômica para a pesca. “Trata-se de uma cadeia produtiva em franca expansão no estado, que produzirá não apenas para o mercado nacional, mas para a exportação de pescado por isso é preciso investir e incentivar, é o que estamos fazendo” afirma.
 
 
Engenharia de Pesca
 
A Engenharia de Pesca é o setor da engenharia voltado para o cultivo, a captura e a comercialização do pescado. O engenheiro de pesca estuda e aplica métodos e tecnologias para localizar, capturar, beneficiar e conservar peixes, além de preocupar-se com uma produção sustentável. O profissional em aqüicultura também desenvolve técnicas de criação e reprodução em cativeiros.
 
 
Pró-Peixe: incentivo a pesca e aqüicultura
 
O Pró-Peixe é desenvolvido pelo Governo do Estado de Rondônia, através da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Social (Sedes), que, em parceria com a Associação de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Rondônia (Emater), leva ao produtor máquinas e equipamentos viabilizando a construção de tanques para implantação e ampliação da piscicultura no Estado.
 
Inserido no Programa Estadual de Piscicultura Agroindustrial do Estado, o Pró-Peixe tem por objetivo incentivar a criação de peixes em cativeiro nas pequenas propriedades rurais, como alternativa de renda ao produtor, ao mesmo tempo em que estimula os frigoríficos de pescado instalados nas regiões de Ariquemes, Pimenta Bueno e Vilhena. As máquinas viabilizam a ampliação ou construção de novos tanques para criação de peixes a custo baixo para o produtor. Se o produtor tiver que contratar hora/máquina para esse tipo de serviço, não desembolsaria menos que 25 mil reais por hectare de lâmina d’água de tanque.
 
 

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS