close

Governo do Estado oferece suporte e busca ajuda para acidentados na explosão no Porto

Governo do Estado oferece suporte e busca ajuda para acidentados na explosão no Porto

DA REDAÇÃO

19 de Maio de 2010 às 16:33

Governo do Estado oferece suporte e busca ajuda para acidentados na explosão no Porto

FOTO: (Divulgação)

Na manhã desta quarta-feira (19), o secretário-chefe da Casa Civil, Guilherme Erse, recebeu em seu gabinete o diretor administrativo da Sociedade de Portos e Hidrovias (SOPH), Jacques Sanguanini, o secretário Paulo Brandão, da Secretaria de Desenvolvimento Ambiental (SEDAM), Major Gregório, do Corpo de Bombeiros, e representantes da empresa Amazongás, o gerente Paulo Magalhães e a advogada, Josélia Valentin, para buscar parcerias a fim de dar suporte as famílias e os estivadores que ainda estão internados, após serem feridos durante a explosão que aconteceu no Porto de Porto Velho, no último dia 05 deste mês.
 
Segundo Guilherme Erse, “este não é o momento de apontar culpados, mesmo porque o laudo da perícia final da polícia está sendo feito. O que podemos fazer é dar suporte aos que precisam. Há quatro trabalhadores internados, que precisam de auxilio para medicamentos”, enfatizou o secretário-chefe.
 
Até o momento todo o auxílio dado às famílias e aos prestadores de serviço do Porto está sendo feito pelo Governo do Estado, através da SOPH e da Ermasa. “Não procuramos culpados, isso vai ficar por conta da perícia. Nós estamos ajudando independente de responsabilidades. Queremos também que a Amazongás dê algum suporte, o que a empresa não tem feito até agora. Quando for comprovado de quem é a culpa, aí decidimos como será questão de reembolso, mas não podemos esperar, as famílias estão sofrendo e temos quatro pessoas internadas no hospital, vítimas do acidente”, argumentou Sanguanini.
 
A pedido de Guilherme Erse, o presidente do Sindicato dos Portuários assumiu o compromisso de visitar as famílias e verificar a necessidade de cada operário que está internado.
 
Ao final da reunião, a advogada da Amazongás se comprometeu em consultar a diretoria da empresa em Manaus, para negociar e ajudar no suporte às famílias. “Não estou prometendo que vamos ajudar, porque eu não posso decidir isso. Meu compromisso é conversar com a diretoria sobre o assunto e tentar conseguir ajuda”, declarou a advogada.
 
O secretário-chefe ressaltou ainda que o Governo do Estado não mediu esforços para tentar salvar a vida dos seis estivadores. “Desde o acidente, no dia 5 de maio, o Governo do Estado tem oferecido todo o suporte médico e lamentou a morte de dois operários”, completou Erse.
 
Também participaram da reunião o estivador marítimo, Roberto Pereira, o presidente do Sindicato dos Portuários, Maurício da Silva e José Carlos da SEDAM.
 
Acidente no Porto
 
O acidente ocorreu no dia 05 deste mês, por volta das 19:30 horas, momento em que os operários jantavam no refeitório. Ao acionar a chave de comando da rampa aconteceu à explosão. Os estivadores disseram que sentiram forte cheiro de gás momento antes da explosão. Seis ficaram feridos, dois em estado grave na UTI não resistiram aos ferimentos e vieram a óbito. Os outros quatro estivadores continuam no hospital com queimaduras no rosto, braços e pernas e estão recebendo todo acompanhamento médico.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS