close

Unir adere ao Enem e estudantes revoltados, marcam protesto para 01 de julho

Unir adere ao Enem e Estudantes, revoltados, marcam protesto para 01 de julho

DA REDAÇÃO

29 de Junho de 2010 às 16:36

Unir adere ao Enem e estudantes revoltados, marcam protesto para 01 de julho

FOTO: (Divulgação)

 
 Estudantes Secundaristas e Universitários trazem a público a denúncia de injustiça cometida contra os estudantes do Estado de Rondônia. Trata-se da adesão pela Universidade Federal de Rondônia ao Exame Nacional do Ensino Médio e do Sistema de Seleção Unificada (Enem/Sisu) que está sendo IMPOSTO sem consulta nem consentimento dos estudantes rondonienses, acarretando enorme prejuízos aos vestibulandos desta terra, que ficarão em desvantagem em relação aos seus concorrentes do Sul e do Sudeste.
 
Na última segunda-feira, dia 28/06, às 09h00, no prédio da UNIR-CENTRO, foi realizada uma reunião com a Reitoria, o CONSEA (Conselho Superior Acadêmico), representantes do Diretório Central de Estudantes, professores, alunos de escolas públicas e privadas de Porto Velho, para debater a adesão ao ENEM/SISU 2011.
 
A maioria dos conselheiros decidiu aderir ao Enem, mesmo sabendo que, no atual contexto, com uma Rondônia de pernas pro ar, passando por transformações profundas em todos os quadrantes da vida social, essa posição atinge frontalmente os interesses da estudantada regional. Esses conselheiros devem ser considerados traidores dos interesses educacionais de Rondônia. Os conselheiros, demonstrando total falta de compromisso com as bandeiras estudantis deste Estado, negaram-se a defender a comunidade estudantil local, não argumentaram a favor dos estudantes rondonienses e se limitaram a aceitar, como capachos do poder, a decisão imposta pelo Reitor da Unir, Professor Januário do Amaral, que de forma unilateral e autoritária, via ad-referendum (Recurso utilizado pelo reitor em casos de emergências, onde não há tempo hábil para convocar os conselhos superiores) fez a adesão forçada da UNIR ao ENEM/SISU e obteve a maioria dos votos do CONSEA.
 
Todavia, nem todos os conselheiros são alienados e irresponsáveis. Uns poucos se posicionaram a favor dos ideais de desenvolvimento do Estado de Rondônia e tiveram a decência e a lucidez de votarem contra a adesão ao Enem, sendo amplamente e calorosamente apoiados pelos estudantes que lá estavam. A Reitoria da Unir tomou essa posição pensando nos seus interesses administrativos, relegando a segundo plano os interesses educacionais do Estado de Rondônia.
 
O movimento estudantil não aceita essa arbitrária decisão da reitoria da Unir como definitiva e vai utilizar de todos os mecanismos legais, sociais e midiáticos para dar combate à prepotência do reitor, desnudando-o frente ao meio social, para que todos saibam que a Reitoria da Unir, ao aderir ao Enem como critério de seleção para o próximo vestibular, prestigiando os interesses dos estudantes das regiões mais ricas e desenvolvidas do país, deixa o estudante de Rondônia numa situação de desvantagem, posto ser sabido de todos que existe um desnivelamento enorme entre o padrão de estudo dessas regiões e o padrão vivenciado hoje pela massa estudantil de Rondônia. A Unir está covardemente atentando o direito que o estudante rondoniense tem de ingressar nos cursos oferecidos pela Universidade Federal de Rondônia. Mesmo sem adesão ao Enem, todo mundo sabe (e a imprensa já fez reportagem sobre isso) que dezenas de ônibus lotados de estudantes se deslocam de outras unidades da federação para Porto Velho, trazendo gente que vem prestar o vestibular aqui, para os melhores cursos, porque sabem que estão melhor preparados que os nossos vestibulando.
 
A simples adesão ao Enem, sem um planejamento, sem um plano de investimento, de mobilização e elevação do grau de qualidade do estudo dos rondonienses, é um verdadeiro desastre para os rondonienses, pois as cadeiras dos nossos melhores cursos da Universidade Federal serão preenchidos, sem dúvida alguma, pelos melhor preparados estudantes da região Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Só a míope reitoria da Unir não consegue enxergar essa realidade. Ou consegue enxergar e finge que não o faz.
 
Durante a reunião ficou clara a posição do Reitor Januário do Amaral, quando ele mesmo alegou não ter dinheiro em caixa para efetuar o vestibular deste ano, e, como já está acabando seu mandato, ele tem de ficar em dia com o caixa universitário, e a adesão ao Enem vem em socorro dessa situação. Deduz-se dessa tomada de posição que a atitude do reitor Januário é meramente político-administrativa, e que não contempla os interesses dos estudantes rondonienses, que, na sua grande maioria, não é favorável à adesão ao Enem/Sisu, uma vez que reconhece que nosso sistema educacional, mesmo o particular, possui gigantescas deficiências, e que o princípio básico da igualdade de oportunidades será ignorado com a implementação do Enem.
 
O aluno rondoniense ficará em franca desvantagem na competição do vestibular, pois quando se compara o ensino de Rondônia com o das regiões Sul e Sudeste, por exemplo, constata-se, sem grande esforço intelectivo, que há UM DESNÍVEL ABISMAL entre a qualidade de ensino das mencionadas regiões em comparação com o padrão de ensino da Região Norte, por óbvios fatores. Logo, aderir ao Enem sem um plano de ação e sem uma política protecionista para os estudantes de Rondônia, é um absurdo, um atentado contra o direito que temos de concorrer em pé de igualdade com os paulistas, os cariocas, os paranaenses, os gaúchos, catarinenses e outros. Estes, sim, levarão vantagens no vestibular e podem até mandar cartas de agradecimento ao reitor Januário.
 
Nós, Estudantes de Rondônia, estamos denunciando a decisão da reitoria da Unir à sociedade, apontando o descaso com que está sendo tratado esse relevante tema pelo Reitor e conselheiros da Unir, cujas posições administrativas assumidas são desastrosas para a comunidade estudantil deste Estado. Em tese a idéia do Enem é boa, mas sua aplicabilidade relâmpago, sem planejamento algum, sem plano de ação e sem política de defesa da comunidade estudantil rondoniense, com aplicação já para o próximo vestibular, é sem dúvida muito danosa e prejudicial à estudantada rondoniense.
 
Queremos ser ouvidos e respeitados no exercício dos nossos direitos democráticos, queremos garantia de acesso à Universidade. Não podemos concordar com a reitoria da Unir nem com alguns de seus conselheiros, pois a opção pelo Enem coloca o aluno frente a frente com uma nova realidade seletiva, com um outro método avaliativo, que exige poder interpretativo diferenciado, domínio e análise crítica envolvendo novos eixos cognitivos, e todo esse processo requer uma adequação, um plano de incorporação, um tempo para se preparar e amadurecer a comunidade estudantil para esse novo desafio.
 
A Unir não pode agir como se estivesse jogando os nossos estudantes aos leões da competitividade. Do jeito que está os estudantes rondonienses estão sendo vitimados pela incompetência e irresponsabilidade das alienadas autoridades universitárias. Ao contrário da atitude entreguista dos servis conselheiros da Unir e de seu reitor, defendemos uma Rondônia para os Rondonienses!!
 
assinam o manifesto:
 
Comando Estudantil em Defesa do Acesso Universidade Pública
 
DCE/UNIR- Diretório Central dos Estudantes da Unir
 
 

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS