close

NOTA DE ESCLARECIMENTO - Coordenador Regional de Policiamento 2

Nota de esclarecimento Coordenador Regional de Policiamento 2

DA REDAÇÃO

7 de Julho de 2011 às 12:25

NOTA DE ESCLARECIMENTO - Coordenador Regional de Policiamento 2

FOTO: (Divulgação)

O Coordenador Regional de Policiamento 2, vêm a público esclarecer fatos que estão sendo distorcidos por determinado apresentador de televisão de programa de notícias policiais na Cidade de Ji-Paraná, no que se refere a Cavalgada de Abertura da 32ª Expojipa, com intuito único de desestabilizar nossa atuação, colocar-nos em posição contrária a nossa população ordeira e admiradora de nosso trabalho ou tentativa de exposição pessoal com outras.
Somos defensores e participamos de todos os movimentos sociais e culturais da população, também entendemos que a tradição da cavalgada deve ser mantida tal qual foi idealizada e este foi nosso posicionamento em todas as reuniões a que participamos formando um colegiado para decisão (Poder Judiciário, Ministério Público, Prefeitura Municipal, EMTU, Associação Rural de Rondônia, Idaron, Detran/Ciretran, Juizado de Menores, Organizadores de Trio Elétrico e Polícias Civil, Militar, Federal, Rodoviária Federal, Corpo de Bombeiros.

 

Estivemos atentos às manifestações e constatamos que a maioria absoluta das pessoas que opinou no programa em questão esteve a favor e ombreou conosco da necessidade de algumas regras e determinações levadas a público por nós, no entanto ainda assim o apresentador na tentativa de insurgência não se contentou, faz chacotas e em tom pejorativo repetidamente opina contrário ao povo, povo esse que ele mesmo trata como voz de Deus.

A proibição de participação de caminhões, carretas e camionetes na festividade, em estando as pessoas no compartimento de carga, não é e nunca foi de competência estadual, é proibição legal prevista no Código de Transito Brasileiro, lei federal que não nos cabe exorbitar. Não está proibida a participação de carroças, mas não se permitirá excesso de carga e pessoas por sobre as mesmas.

 

Se o intuito do poder público fosse proibir a realização da cavalgada não precisava ter realizado várias reuniões, bastava que cada órgão cumprisse o que as leis bem esclarecem sobre reuniões populares, animais, motocicletas.

Em nenhuma de nossas falas divulgamos a proibição de bebidas alcoólicas durante a festividade, no entanto aqueles que forem detectados em estado de alcoolemia serão assistidos e retirados do local, isto para serem submetidos a atendimento de primeiros socorros através de nosso Corpo de Bombeiros.
Somos sabedores que no dia muitas famílias se posicionam no trajeto para num comércio informal e para reforço do orçamento doméstico venderam churrasquinho, água, refrigerante, cerveja e outras bebidas e ainda catadores de latinhas, e com elas contamos para tal realização, nunca o colegiado se posicionou pela proibição às mesmas.

 

Não é competência da Polícia Militar do Estado de Rondônia determinar comportamentos sociais de nenhuma pessoa de nossa sociedade e nunca se utilizou desse mecanismo controlador, para isso as leis estão em vigor.

É sim competência da Polícia Militar do Estado de Rondônia, cumprir e fazer cumprir a lei, ou seja, os ditames legais devidamente aprovados, publicados e de conhecimento da população, assim é todo regime democrático.
Aqueles que não se comportam conforme as regras e são detectados, estes sim, são e serão encaminhados a presença da autoridade policial, em cumprimento a lei e em conformidade a mesma.

 

Também não podemos deixar que o  assunto Cavalgada de abertura da Expojipa seja distorcido em razão de outras falhas de comportamento que algumas pessoas teimam em expor noutras situações sociais e assim permitir que uma manifestação cultural aconteça sem parâmetros legais ou morais. Há tempo para tudo, neste é Cavalgada que tratamos. Nenhum de nós, de próprio punho escreveu uma linha sequer das leis que devemos cumprir, para isso elegemos os nossos representantes, que são os Vereadores, Deputados Estaduais, Deputados Federais, Senadores, Prefeitos, Governador e Presidente da República.

Também não estamos usando do artifício da força bruta, radicalismo ou ditadura militar como disse o apresentador, regime, aliás, que nem mesmo ele  conheceu, mas estamos divulgando com objetividade e muita seriedade as decisões a que estamos imbuídos de cumprir. Para se impor ditadura não é necessária a força, truculência ou excessivo rigor, basta oportunismo reiterado nas palavras, nos microfones, na mídia, fazendo com que o povo acredite naquele discurso e ou ações populistas e passe a ser manipulado de tal forma.

Sabedores da importantíssima responsabilidade imprensa em geral (televisão, rádio, jornal, sites) em noticiar os fatos e mobilizar a população, para tanto convidamos e solicitamos a toda imprensa rondoniense que nos ajude a organizar uma bonita festa popular não deixando que desejos íntimos e pessoais se sobreponham ao clamor popular.

Por fim cabe esclarecer que todas as decisões foram tomadas pelo colegiado e apenas, nada mais que isso, coube a este Oficial PM fazer as comunicações de caráter geral, no entanto, qualquer do povo pode ainda, inclusive o citado apresentador, organizar e liderar seu grupo de manifestação cultural, seja grupo de motocicletas ou veículos e solicitar ao poder público o alvará para se fazer presente na festividade, basta que cumpra os preceitos
Rogamos Deus Pai que sempre proteja nossa sociedade ordeira em mais esta manifestação tradicionalista e cultural.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS