close

VILHENA – Turistas brasilienses saem para pescar e ficam 12 dias perdidos na mata

VILHENA – Turistas brasilienses saem para pescar e ficam 12 dias perdidos na mata

DA REDAÇÃO

28 de Julho de 2011 às 08:45

VILHENA – Turistas brasilienses saem para pescar e ficam 12 dias perdidos na mata

FOTO: (Divulgação)

Com a fama de ser um lugar bom para a prática da pesca esportiva o Rio Tenente Marques tem características perigosas, inúmeras curvas além de troncos e folhas das árvores em seu leito, que podem enganar até guias experientes. Os turistas não sabiam disso, desobedeceram o guia e saíram em caminhada pela mata.

A viagem que deveria ser inesquecível para dois turistas vindos da capital federal, Brasília definitivamente deixou marcas. Dois homens, um empresário e outro aposentado (ambos não quiseram divulgar seus nomes à imprensa) vindos de Brasília para passar as férias pescando acabaram perdidos por 12 dias na mata.

Os turistas foram resgatados nesta última terça-feira, 26, por uma equipe composta pelo Corpo de Bombeiros de Vilhena e Policiais Federais, acompanhados pelo guia Moacir Macedo, morador de Espigão do Oeste, responsável por conduzir os turistas.

Os problemas começaram na volta da viagem, quando a gasolina do barco acabou. “O barco ficou na encosta do rio e nosso guia seguiu a pé pela mata em busca de socorro. Passando alguns dias de espera resolvemos agir, pegamos o essencial, nos protegemos e adentramos na mata”, explicou o empresário, de 39 anos.

Quando o guia voltou encontrou apenas um bilhete escrito pelos clientes dizendo o dia em que haviam saído e o destino para o qual queriam chegar. “O desespero tomou conta, pois sabia que as chances de sobrevivência eram poucas para eles”, relembrou.

Andando em circulo sem comer e tomando apenas água os turistas foram atacados por formigas e outros bichos. “As formigas comeram a barraca que havíamos levado e o pouco da comida que tínhamos estragou. Só pensávamos em Deus e em nossas famílias”, afirmou o aposentado.

O grupo de busca intensificou as buscas pelo rio utilizando-se do barulho de fogos para tentar chamar a atenção dos perdidos.

O drama teve fim quando um dos bombeiros escutou gritos que vinham da mata. Os dois turistas foram encontrados a aproximadamente 600 metros da Margem do Rio Tenente Marques, que corta o parque indígena do Aripunã.

De acordo com a coordenação do pronto socorro do Hospital Regional de Vilhena, os homens deram entrada no HR com sinais de desidratação.

Ambos foram medicados e passam bem. O susto que tomaram pelo visto acabou com a coragem dos perdidos, com relação à pescaria. Ambos garantiram que nunca mais irão encarar a beira de um rio atrás de peixes. “Pescar nem no videogame! Vou passar minhas próximas férias indo ao shopping”, afirmou o aposentado.

É sempre bom lembrar que pessoas sem experiência nunca devem pensar que sabem andar na mata porque têm várias horas de filmes de guerra, ou de aventura no currículo.

Desobedecer ordens dos guias, sair em caminhada como o Rambo e matar onça no grito só existe em filmes e pode acabar em tragédia.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS