close
logorovivo2

PAINEL POLÍTICO - Governo está sem dinheiro até para realizar cerimônias oficiais - Por Alan Alex

Departamento responsável pela organização de solenidades está devendo fornecedores e recomenda que secretários "busquem ajuda nas usinas" para realizar as cerimônias.

DA REDAÇÃO

23 de Janeiro de 2013 às 05:00

PAINEL POLÍTICO - Governo está sem dinheiro até para realizar cerimônias oficiais - Por Alan Alex

FOTO: (Divulgação)

 

Quebradeira

 

O departamento de cerimonial do governo Confúcio está quebrado. Sem dinheiro sequer para comprar copos, alugar equipamentos de som, comprar as placas usadas em inaugurações. O cerimonial está devendo seus fornecedores há mais de 7 meses e não tem como honrar seus compromissos. Como resultado, os eventos governamentais estão sendo extremamente simples. No “gogó” mesmo, porque falta dinheiro até para alugar microfones com caixa de som amplificada.

 

A informação

 

Partiu do próprio cerimonial, que “aconselhou” algumas secretarias a buscarem ajuda nos consórcios que constróem as usinas. Pelo andar da carruagem, em breve teremos um arauto gritando em praça pública os editais do governo, por falta de papel no Diário Oficial.

 

Falando em usinas

 

Santo Antônio já demitiu cerca de 10 mil trabalhadores. Muitos foram remanejados para outras obras do consórcio, como Belo Monte. Isso é preocupante, porque são 10 mil consumidores a menos no comércio, desaquecendo a economia. E nos próximos meses mais pessoas devem retornar a seus estados de origem. Nuvens negras no horizonte.

 

Sem folia

 

Todos os anos é a mesma ladainha, se a prefeitura e governo não repassarem recursos, o desfile das escolas de samba de Porto Velho vai ser anulado. Esse ano não foi direrente. Nesta quarta-feira a Federação das Escolas de Samba (FESEC) entidade que reúne as agremiações, anunciou que “a atual administração da Prefeitura encontrou dificuldades burocráticas, criadas pela gestão anterior, decidiu pelo não destinação de verba”. Com isso, os desfiles que aconteceriam em março, foram cancelados.

 

Perfeita

 

A decisão da prefeitura. O governo deve fazer o mesmo e acabar com essa história de ficar patrocinando carnaval. Essas escolas tem o ano inteiro para juntar dinheiro, poderiam organizar eventos para arrecadar recursos e botar a escola na avenida, independente de recursos públicos. O grande problema é que eles se habituaram a essa situação. E cá entre nós, Porto Velho está longe de apresentar um desfile de qualidade. Desde que me entendo por gente que a coisa sempre foi “meia boca”.

 

Enquanto isso

 

Professores da rede pública de ensino sofrem, e muito com defasagem salarial, péssimas condições de trabalho e alunos mal criados. Nos últimos anos no Brasil percebe-se uma inversão de valores, as escolas passaram a fazer às vezes de alguns pais, que largam os filhos nos estabelecimentos de ensino e os professores que se virem para resolver questões de educação. Escola também serve para educar, mas o principal papel é o de ensinar.

 

Vou dar um exemplo

 

Um professor da região rural explicou que ao pedir a um aluno que tirasse o fone de ouvido que estava sendo usado dentro da sala de aula, recebeu como resposta um sonoro “v.t.f” seguido da frase “vem tomar se você é macho”. O aluno, pré-adolescente, cujo comportamento não é uma exceção, vem se tornando regra nas escolas, foi encaminhado à diretoria. Os pais foram chamados, apenas a mãe compareceu e ela já chegou dando razão ao menino, sem sequer saber o qu estava acontecendo. Disse que a “escola pegava no pé de seu filho”.

 

Como resultado

 

O professor ficou desmoralizado perante sua classe e os demais perceberam que não existe respeito nem hierarquia. Essa história não é ficção e existem relatos ainda mais graves, inclusive com agressões verbais muito mais ofensivas.

 

Governadorável”

 

Alguns leitores questionaram a ausência de Acir Gurgacz entre os possíveis candidatos ao governo em 2014. A coluna não esqueceu dele, só não levou em consideração essa possibilidade em função do histórico político de Acir. Outro nome que também foi lembrado é o de José Bianco, ex-prefeito de Ji-Paraná que já foi governador e responsável pela demissão de 10 mil servidores públicos. Bianco é virtual candidato a deputado estadual.

 

Lançamento

 

Nesta sexta-feira, 25, acontece o tradicional coquetel de lançamento da camisa oficial da Banda do Vai Quem Quer, com o tema e marchinha para o carnaval 2013. O evento acontece no Braz Buffet a partir das 20hs. “O coquetel é oferecido a imprensa todos os anos e aos amigos e parceiros da Banda. É o momento em que apresentamos a camisa oficial com o tema da banda e também agradecemos a parceria e o empenho de todos que ajudam a colocar a Banda na rua”, destacou Siça Andrade, presidente da Banda do Vai Quem Quer. O diretor musical da BVQQ, Silvinho Santos diz que por determinação do falecido Manelão, “general da Banda”, ninguém pode saber o tema e a arte da camisa antes do lançamento oficial, que é o coquetel, mas adiantou que “o tema da banda deste ano segue como sempre nos anos anteriores satirizando o sistema político”.

 

Imbróglio

 

Desde o início de 2013 não há regras jurídicas legais para a distribuição do Fundo de Participação dos Estados. O critério usado pelo governo para fazer o repasse foi considerado inconstitucional em 2010 pelo Supremo Tribunal Federal, que deu o prazo até o fim de 2012 para que o Congresso aprovasse um novo modelo de partilha. No entanto, o Congresso entrou em recesso sem analisar o tema. Com isso, os dois repasses feitos pelo governo em 2013 foram baseados nos critérios antigos. Quatro estados (MG, PE, BA e MA) acionaram o STF nesta segunda-feira (21) pedindo para o tribunal prorrogar o prazo para o Congresso estipular novo modelo de repasse. Na terça-feira (22) o vice-presidente do STF, ministro Ricardo Lewandowski, enviou comunicado para o presidente do Congresso, José Sarney, em que pedia explicação sobre o fato de o Congresso não ter votado o novo FPE no prazo estipulado. Sarney respondeu dizendo que não houve "omissão inconstitucional do Congresso." Nos dois primeiros repasses de 2013, para que a verba não deixasse de chegar aos estados, o governo fez a partilha com base em um em parecer do Tribunal de Contas da União (TCU), que determina que enquanto o Congresso não aprovar nova fórmula, o critério de distribuição pode continuar o mesmo que estava em vigor até 2012.

 

Jazidas

 

Uma equipe de oito especialistas do Serviço Geológico do Brasil (CPRM) mapeou e identificou novas áreas na Região Norte potencialmente ricas em diamantes. Além do Amazonas, os geólogos encontraram fortes indícios da existência de jazidas nos Estados do Pará, Rondônia e Mato Grosso. De acordo com a CPRM a ideia das pesquisas e do projeto de mapeamento das áreas, denominado Diamante Brasil, surgiu em 2003 a partir do interesse do governo federal em prospectar o potencial mineral da região amazônica, até então pouco conhecido. Para obter os dados que poderão atrair mineradoras ao país, ampliando o mercado da gema em escala mundial, em 2012, o governo federal enviou uma equipe de especialistas que passou 35 dias percorrendo cerca de 150 quilômetros da bacia amazônica, o que resultou o total de 1.360 indícios, dos quais 600 são ocorrências diamantíferas. O levantamento geológico do órgão ainda inclui prospecções de metais como ouro, potássio, manganês, cobre, entre outros.

 

Negócio fechado

 

Denis Bau, destituído da presidência da Federação das Indústrias de Rondônia no fim do ano passado, vendeu o shopping que vinha construindo há anos na entrada de Porto Velho. O empreendimento foi negociado com um grupo baiano que pretende concluir a obra. O investimento deve girar em torno de R$ 50 milhões, entre compra do imóvel e compensações sociais. No entorno deverão ser construídas creches e praças.

 

Epidemia

 

Casos de dengue começam a pipocar na cidade e as policlínicas estão ficando abarrotadas. As autoridades pedem que a população adote as medidas cabíveis, como evitar deixar água parada acumulada em vasos, pneus, garrafas, etc.

 

Porém

 

Um dos grandes problemas de Porto Velho são os terrenos baldios, que tomados pelo mato acumulam lixo e verdadeiros criadouros de pragas urbanas, como ratos, baratas e mosquitos. Nesses casos cabe à prefeitura e Câmara Municipal agirem. Os proprietários deveriam ser multados. Quem tem terreno tomado pelo mato deveria ser obrigado a limpar, pelo bem da saúde pública. Tem imóveis por ai que os donos sequer vivem na cidade e por isso estão se lixando para a situação.

 

Fale conosco

 

Contatos com a coluna podem ser feitos pelos telefones (69) 3225-9979 / 9209-0887, ou ainda pelo e-mail alan.alex@gmail.com. No Facebook/painel.politico, no Twitter/painelpolitico ou ainda no www.painelpolitico.com. Caso queira entregar denúncias ou documentos, favor encaminhar para Avenida Abunã, 1345, Olaria, Porto Velho – RO aos cuidados de Alan Alex.

 

Homens bebem menos quando casados, conclui pesquisa

 

Um estudo conduzido por sociólogos americanos concluiu que mulheres casadas bebem mais álcool que as divorciadas ou as recém-viúvas. Por outro lado, o mesmo levantamento sugere que homens casados bebem menos que os solteiros, divorciados e viúvos. E mais: os representantes do sexo masculino tendem a consumir mais álcool depois do término do casamento que as mulheres quando estão na mesma situação. Os pesquisadores, das universidades americanas de Cincinnati, Pennsylvania, Rutgers e Texas, analisaram dados de dois grandes questionários, realizados entre 2003 e 2010. “Nossos dados qualitativos sugerem que casar-se com um homem mais propenso ao álcool introduz a mulher a novos ambientes sociais que podem promover o consumo de bebidas entre elas” declarou ao site LiveScience o chefe da pesquisa, Corinne Reczek, professor de sociologia na Universidade de Cincinnati. É possível ver, portanto, que no time das casadas, a mulher pode ser influenciada pelo maior consumo de álcool de seu parceiro. Mas, em contrapartida, conclui Reczec, os homens reduzem o consumo pelo medo de ficarem com a famosa “barriguinha de chope”. Quando chega o divórcio, a explicação dos pesquisadores é que os homens tendem a lidar com o estresse de modo a extravasá-lo, por meio do álcool, por exemplo, enquanto as mulheres são propensas a internalizar o estresse, como ocorre nas crises de depressão.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS