close
logorovivo2

Bancários decidem encerrar a greve em Rondônia

Bancários decidem encerrar a greve em Rondônia

DA REDAÇÃO

14 de Outubro de 2013 às 10:23

Bancários decidem encerrar a greve em Rondônia

FOTO: (Divulgação)

Acabou agora há pouco a assembleia geral realizada na sede do Sindicato dos Bancários e de Rondônia (SEEB-RO) em que os trabalhadores decidiram, por unanimidade, pelo encerramento da greve dos bancários no Estado. Todos os funcionários e dirigentes sindicais presentes aprovaram as propostas de reajuste de 8,0% (aumento real de 1,82%) o índice de reajuste sobre os salários e as verbas, para 8,5% sobre o piso salarial (ganho real de 2,29%) e 10% sobre o valor fixo da regra básica e sobre o teto da parcela adicional da PLR (Participação nos Lucros e Resultados). A proposta também eleva de 2% para 2,2% o lucro líquido a ser distribuído linearmente na parcela adicional da PLR.
“Sou firme em dizer que uma greve de 23 dias, para mim, seria apenas o começo, que ainda temos muito gás para irmos adiante. No entanto, também sou firme em afirmar que houve avanços reais, especialmente nas questões específicas do Banco do Brasil. Não foi o que queríamos, mas temos, pelo décimo ano seguido, ganho real, com índices acima da inflação”, disse o secretário de Saúde do Sindicato, Cleiton dos Santos, funcionário do BB.
“Notamos avanços nas questões específicas da Caixa, como a garantia de mais contratação até 2015. No entanto, digo que as propostas foram conforme o tamanho da nossa luta e, infelizmente, a nível nacional não houve mais de 40% de funcionários da Caixa na mobilização e garanto que se tivesse 80% de adesão desses funcionários os ganhos agora seriam muito melhores”, avaliou Euryale Brasil, secretário geral do SEEB-RO e funcionário da Caixa.
O presidente José Pinheiro explicou que foram 23 dias de greve, considerada a mais forte dos últimos 20 anos e com mais de 12 mil agências e centros administrativos fechados em todo o país.
“Foram mais de 16 horas de tensas negociações do Comando Nacional com a Fenaban, se arrastando das 10 horas de quinta-feira para as 4 da madrugada de sexta-feira. Finalmente conseguimos avanços significativos, especialmente na questão da compensação das faltas, que serão compensadas em até 180 dias. Obviamente não foi o índice que gostaríamos, mas foi o possível de conquistarmos e podemos celebrar que tivemos o maior índice de ganho real entre todos os acordos de todas as categorias de trabalhadores”, detalhou.
O presidente da CUT-RO e ex-presidente do Sindicato, Itamar Ferreira, parabenizou os trabalhadores que foram para a greve e que, apesar dos índices abaixo do esperado, ainda assim houve conquistas significativas, a exemplo da quebra da linha da compensação de faltas, coisa não conquistada nos anos anteriores.
“Novamente a categoria sai fortalecida e comprova que a greve ainda é o mais eficiente instrumento de luta por melhores condições salariais e de trabalho”, comentou.
Com a decisão todos os bancos voltam a funcionar normalmente já na manhã da próxima segunda-feira, 14.
AS PROPOSTAS APROVADAS
Reajuste: 8,0% (1,82% de aumento real).
* Pisos: Reajuste de 8,5% (ganho real de 2,29%).
- Piso de portaria após 90 dias: R$ 1.148,97.
- Piso de escriturário após 90 dias: R$ 1.648,12.
- Piso de caixa após 90 dias: R$ 2.229,05 (que inclui R$ 394,42 de gratificação de caixa e R$ 186,51 de outras verbas de caixa).
* PLR regra básica: 90% do salário mais valor fixo de R$ 1.694,00 (reajuste de 10%), limitado a R$ 9.087,49. Se o total apurado ficar abaixo de 5% do lucro líquido, será utilizado multiplicador até atingir esse percentual ou 2,2 salários (o que ocorrer primeiro), limitado a R$ 19.825,86.
* PLR parcela adicional: aumento de 2% para 2,2% do lucro líquido distribuídos linearmente, limitado a R$ 3.388,00 (10% de reajuste).
* Antecipação da PLR até 10 dias após assinatura da Convenção Coletiva: na regra básica, 54% do salário mais fixo de R$ 1.016,40, limitado a R$ 5.452,49. Da parcela adicional, 2,2% do lucro do primeiro semestre, limitado a R$ 1.694,00. O pagamento do restante será feito até 3 de março de 2014.
* Auxílio-refeição: de R$ 21,46 para R$ 23,18 por dia.
* Cesta-alimentação: de R$ 367,92 para R$ 397,36.
* 13ª cesta-alimentação: de R$ 367,92 para R$ 397,36.
* Auxílio-creche/babá: de R$ 306,21 para R$ 330,71 (para filhos até 71 meses). E de R$ 261,95 para R$ 282,91(para filhos até 83 meses).
* Requalificação profissional: de R$ 1.047,11 para R$ 1.130,88.
* Adiantamento emergencial: Não devolução do adiantamento emergencial de salário para os afastados que recebem alta do INSS e são considerados inaptos pelo médico do trabalho em caso de recurso administrativo não aceito pelo INSS.
* Gestores ficam proibidos de enviar torpedos aos celulares particulares dos bancários cobrando cumprimento de resultados.
* Abono-assiduidade (novidade): 1 dia de folga remunerada por ano.
* Vale-cultura (novidade): R$ 50,00 mensais para quem ganha até 5 salários mínimos, conforme Lei 12.761/2012.
* Prevenção de conflitos no ambiente de trabalho - Redução do prazo de 60 para 45 dias para resposta dos bancos às denúncias encaminhadas pelos sindicatos, além de reunião específica com a Fenaban para discutir aprimoramento do programa.
* Adoecimento de bancários - Constituição de grupo de trabalho, com nível político e técnico, para analisar as causas dos afastamentos.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS