close

Colônia de Pescadores será reestruturada com investimento do governo

A sede da colônia de pescadores Z-2/RO do município de Guajará-Mirim passará por reestruturação de maquinário para contribuir com o fortalecimento dos arranjos produtivos da sociobiodiversidade existente na região do Mamoré

DA REDAÇÃO

17 de Março de 2015 às 16:45

Colônia de Pescadores será reestruturada com investimento do governo

FOTO: (Divulgação)

A sede da colônia de pescadores Z-2/RO do município de Guajará-Mirim passará por reestruturação de maquinário para contribuir com o fortalecimento dos arranjos produtivos da sociobiodiversidade existente na região do Mamoré. O governo de Rondônia liberou o recurso no valor de R$ 74. 114,67 para investimento na colônia, cumprindo acordo de impulsionar os Arranjos Produtivos Local (APL), coordenado pela Secretaria de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão (Sepog).

O secretário da Sepog, George Braga, explicou que a parceria entre governo de estado e a colônia iniciou em 2013, quando a equipe da secretaria ministrou o curso de cooperativismo e empreendedorismo para mais de 70 pessoas ligadas ao segmento. “A colônia Z-2/RO é a primeira entidade, inserida nos arranjos da sociobiodiversidade, a receber os recursos disponibilizados da fonte direta do Estado para alavancar o segmento”, explicou Braga.

Com o recurso, a colônia irá reestrutura as instalações do local de trabalho com renovação de frigoríficos, fábrica de gelo, maquinários e equipamento. Segundo a gerente de Desenvolvimento e Políticas Públicas da Sepog, Rúbia Lima, o investimento reflete na melhoria do setor no Estado. “A viabilização do recurso faz com que Rondônia ganhe no melhor armazenamento do peixe e na política de manter o emprego e o sustento das famílias que vivem do pescado e da venda”, ressaltou a gerente.

O APL da sociobiodiversidade está localizado na região do rio Mamoré, que inclui os municípios de Guajará-Mirim e Nova Mamoré, e é formado por representantes da Colônia de Pescadores Z-2/RO, Associação dos Açaizeiros, dos indígenas e extrativistas de Guajará-Mirim.

A associação dos açaizeiros de Guajara-Mirim também se prepara para receber recurso do governo de Rondônia e potencializar a produção. Os representantes estão na fase de organização dos documentos para concretizar a parceria.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS