close

Governo assume serviço de nutrição e alimentação do Hospital Regional

Governo assume serviço de nutrição e alimentação do Hospital Regional

DA REDAÇÃO

22 de Julho de 2015 às 09:22

Governo assume serviço de nutrição e alimentação do Hospital Regional

FOTO: (Divulgação)

Na segunda-feira (20), o Governo de Rondônia assumiu o serviço de nutrição e alimentação do Hospital de Urgência e Emergência Regional de Cacoal. Dezoito profissionais, entre eles duas nutricionistas, são responsáveis pela alimentação servida aos pacientes e também aos servidores da unidade. Aos pacientes serão servidas seis refeições diárias: café da manhã, lanche, almoço, lanche da tarde, jantar e ceia. Aos servidores serão disponibilizados almoço e jantar.

As reclamações em relação à alimentação servida antes no hospital eram diárias, constantes. Então nos esforçamos para agilizar o processo e assumir este setor. Hoje [29] estive conversando com pacientes, e apenas com o café da manhã servido, eles já notaram a diferença e elogiaram a mudança, ressaltou o diretor do Complexo Hospitalar de Cacoal, Marco Aurélio Vasques.

De acordo com a nutricionista e responsável técnica, Melina Carvalho, as refeições são servidas de acordo com a patologia de cada paciente. Às vezes o paciente não pode comer algo, tem alergia a algum ingrediente, ou é diabético, por exemplo, e não pode consumir açúcar, então estamos atentos a necessidade de cada um. O cardápio é montado de acordo com o que o paciente precisa ou que não pode ingerir, explicou a nutricionista. Compõe o cardápio uma variedade de frutas, legumes e verduras, sendo que grande parte é adquirida diretamente de produtores rurais de Cacoal.

Leni SantAna de Almeida Silva está no Hospital de Urgência e Emergência Regional de Cacoal acompanhando a mãe, Dona Helena, de 69 anos, que está com uma doença chamada erisipela. Uma doença de pele caracterizada pelo surgimento de feridas vermelhas, inflamadas e dolorosas em qualquer parte do corpo, que aparecem quando a bactéria causadora da doença, a Streptcoccus pyogenes, penetra na pele.

Ao longo dos 12 dias em que acompanha a mãe, Leni tem registrado a situação da alimentação. Eu tinha tirado fotos da alimentação quando era ruim e mandado para a minha família e hoje já fiz questão de tirar uma foto e mostrar para a família toda que as coisas melhoraram. A nutricionista passou aqui antes e falou que ia melhorar e hoje eu acreditei e agradeço muito por isso, pois a alimentação faz parte para ajudar o paciente a melhorar, concluiu Leni.

Jaci Gonçalvez, de 71 anos, tem diabetes e está internada no Hospital de Urgência e Emergência, há duas semanas. O filho Imar Gonçalvez e a neta Angra de Oliveira Nogueira, criada pela avó, também falaram sobre a alimentação servida no hospital. Eu quero dar os parabéns, pois a comida já melhorou muito. No café já deu pra ver a mudança, disse Imar.

 

Cumprindo as metas

Após visitar a cozinha do HUERC, onde estão sendo preparadas as refeições servidas aos pacientes e servidores, o diretor do Complexo Hospitalar de Cacoal, Marco Aurélio Vasques, se mostrou satisfeito com os primeiros resultados e a satisfação dos pacientes. O Estado assumiu, através de uma empresa terceirizada, essa responsabilidade de fornecer a alimentação e queremos oferecer refeições com qualidade. É muito gratificante conversar com os pacientes e ver que eles estão satisfeitos e nos agradecem por esta melhoria, ressaltou Vasques.

Sobre a responsabilidade do Estado ao assumir a saúde do município de Cacoal, o diretor destacou que todas as etapas estão sendo cumpridas e que a determinação é tirar a saúde de Cacoal do caos. A meta do governador sempre foi fazer a saúde com qualidade, resolutividade e bom atendimento. Nós sabíamos que ao assumir o serviço de Urgência e Emergência de Cacoal, que antes era de responsabilidade do município, nós teríamos etapas a serem seguidas para garantir o pleno funcionamento do hospital.

De acordo com Marco Aurélio Vasques, para atender a determinação do governador Confúcio Moura e do secretário Williames Pimentel, seriam necessários pelo menos oito meses de trabalho para colocar a situação em ordem. Hoje estamos completando quatro meses e meio e garantimos mais um avanço que é assumir a alimentação do hospital. Então todas as etapas estão sendo cumpridas uma a uma, concluiu o diretor.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS