close

RIO MACHADO: Delegados falam como homem matou mãe e enteado

A perícia técnica apontou que o homem cometeu suicídio na noite de segunda ou na manhã de terça-feira (19). Agora a polícia investiga a motivação dos crimes

DA REDAÇÃO

22 de Setembro de 2017 às 09:42

RIO MACHADO: Delegados falam como homem matou mãe e enteado

FOTO: (Divulgação)

Após três dias de busca, a Polícia Civil em parceria com a Polícia Militar de Rondônia encontraram o principal suspeito de ter matado mãe e filho na segunda-feira (18), e jogado os corpos no Rio Machado. Oclecio da Cruz Almeida, 40, foi encontrado morto na quarta-feira (20) em uma mata de uma propriedade particular de Castanheiras, a cerca de 450 quilômetros de Porto Velho.
 
A perícia técnica apontou que o homem cometeu suicídio na noite de segunda ou na manhã de terça-feira (19). Agora a polícia investiga a motivação dos crimes.
 
A delegada Erica Demarchi de Cacoal, que presidiu toda a investigação, fez um cronograma de todos os lugares que Oclecio teria ido com a família antes dos crimes e por onde passou sozinho, após a prática criminosa.
 
“Fizemos uma cronologia de tudo que aconteceu, onde apuramos que no domingo (17), por volta das 19h47, a família foi ao shopping em Cacoal, permanecendo até as 21h. Às 2 horas de segunda-feira, pescadores do município de Castanheiras encontram o corpo do garoto no rio”, contou.
 
Ainda na cronologia feita pela delegada, consta que às 3 horas de segunda, Oclecio esteve sozinho na casa de alguns parentes em uma linha próxima a Presidente Médici e contou que tinha vindo com a família para passar a noite em um sítio em Ministro Andreazza, porém, disse que no caminho tinham sido abordados por pessoas encapuzadas em um carro, que teriam sequestrado a mulher e a criança. Segundo a polícia, essa história não foi comprovada.
 
 
Em seguida, o homem foi visto nos municípios de Presidente Médici, Ministro Andreazza, e no distrito de Nova Londrina, e neste período, por algumas vezes utilizou o cartão de crédito da esposa. Já na manhã de segunda-feira, Oclecio esteve em Cacoal.
 
“Às 16h30 de segunda-feira ele foi visto abandonando o carro próximo de uma cerca, em uma fazenda de Castanheiras e adentrando a mata sozinho. Como ele foi visto entrando na mata e nós já desconfiávamos que ele iria se entregar ou por fim na própria vida, na quarta-feira iniciou-se as buscas e neste dia ele foi encontrado morto. Não há nenhum sinal de que tenha um terceiro envolvido ou que tenha sido morto por qualquer outra pessoa. A perícia concluiu que foi suicídio”, frisou a delegada.
 
Mortes de mãe e filho
 
Segundo o diretor do Departamento de Polícia do Interior, Arismar Araújo, que comandou as buscas, mãe e filho foram mortos por estrangulamento. “A mãe foi morta por uma corda um pouco mais grossa e atacada por trás. As marcas no pescoço indicam que ela tenha colocado as mãos entre a corda e o pescoço. No corpo não há outras lesões”, contou Arismar.
 
Já a criança de cinco anos, provavelmente tenha sido morta por um fio. “As marcas no pescoço do garoto eram finas e não tem nenhum sinal de que tenha conseguido sequer segurar no fio. Não tem condição de informar quem foi morto primeiro, mãe ou filho”, explicou o delegado.

Suspeito
 
A delegada disse que Oclecio não fazia nenhum tipo de tratamento psicológico, porém, respondeu pelo crime de homicídio, do qual foi absolvido por legitima defesa. A família estava passando por um momento de disputa da guarda do garoto com a avó materna.
 
 
“A criança sempre foi criada pela avó materna e a mãe acompanhava, pois a avó não tinha a guarda legal. Nas últimas semanas resolveram tirar a criança de perto da avó. O conselho tutelar já estava acompanhando o caso, pois haviam suspeitas de maus tratos e até abuso sexual contra essa criança”, contou Erica.
 
Segundo a delegada, a autoria e a materialidade do crime já foi concluída, mas ainda trabalharão a a motivação do crime.

Entenda o caso
 
O homem era o principal suspeito de ter matado uma criança de cinco anos e a mãe, que era esposa de Oclecio. O corpo do menino foi encontrado por pescadores que estavam próximos a uma ponte sobre o Rio Machado quando o visualizaram, na manhã de segunda-feira (18).
 
No fim do mesmo dia, o corpo da mãe da criança foi encontrado, na mesma região. Ainda na segunda-feira a Justiça decretou a prisão temporária de Oclecio.
 
As vítimas foram veladas e enterradas em Cacoal, cidade em que moravam, na terça-feira (19).

 

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS