close

COLUNA: Confira o histórico do Momento Lítero Cultural - Por Selmo Vasconcellos

Confira a coluna de Selmo Vasconcellos

POR SELMO VASCONCELLOS

25 de Outubro de 2019 às 09:06

COLUNA: Confira o histórico do Momento Lítero Cultural - Por Selmo Vasconcellos

FOTO: (Divulgação)

6ª PARTE – 15 de agosto de 1991(001)  a 30 de DEZEMBRO de 1995 (249)

 

MOMENTO LÍTERO CULTURAL, atualizado no jornal rondoniaovivo.com

 

Principais participantes e poesias

 

M.L.C. Nº 001 – 15.agosto.1991

APARÍCIO CARVALHO - Porto Velho, RO.

O homem não é como trevas

Que se acaba com a luz

Ele vive mais concreto

Na palavra que conduz

 

M.L.C. Nº 005 – 12 de setembro de 1991.

MIMI PAEZ – Copiapó, CHILE

Se me dieran a elegir

entre el pan y La liberdad...

elegiria La liberdad

para luchar por el pan...”

 

M.L.C. Nº 009 – 10 de outubro de 1991.

SELMO VASCONCELLOS

O índio Karitiana não treme, não teme

Sai pelos rios Machado, Mamoré, Madeira...

Enfrenta mutuca, pintada, corredeira

molhando a sua piroga e não geme.

 

M.L.C. Nº 023 – 16 de janeiro de 1992.

DOM HÈLDER CÂMARA

Vamos exigir que os governantes tenham coragem de nos dizer a verdade sobre o Brasil. O Brasil suporta as verdades, não precisa de mentiras

 

M.L.C. Nº 029 – 27 de fevereiro de1992.

VIRIATO MOURA – Porto Velho, RO

Nos galpões ocres

da Madeira-Mamoré

há sempre um velório

para o velho trem

da nossa história.

 

M.L.C. Nº 043 – 4 de Junho de 1992

LUÍS FERNANDES DA SILVA – João Pessoa, PB.

Um dia

Quero colecionar estrelas,

Ficar na janela

A boca da noite

E assustar o céu.

 

M.L.C. Nº 048 -9 de Julho de 1992

JOANA D’ARC OLIVEIRA – São Paulo, SP.

ALARDE

Minha boemia é sutil,

Fica viúva depois

Que o sono chega...

 

M.L.C. Nº 054 – 20 de Agosto de 1992.

KLEON MARYAN – Porto Velho, RO.

A um homem faminto dificilmente

Acontecem sentimentos nobres e elevados.

Sua mente está presa ao estômago.

 

7.Janeiro.1993 – M.L.C. Nº 074.

MARCOS SOUZA GOMES – Porto Velho, RO.

“Ouço a aclamação de uma gente que carece de heróis;

Patamar de tristes histórias políticas que esse país tem;

Cuja devoção patriótica nos corrói.”

 

18.Fevereiro.1993 – M.L.C.Nº 080.

LEONTINO FILHO – Natal, RN 

Gotejando nas calhas

Pingamos sonhos

Aguardo as áridas ilusões

Gelamos delírios

 

SONIA RODRIGUES – Bebedouro, SP

A juventude é perpétua

Para quem sabe viver.

A felicidade é eterna

Para quem sabe morrer.

 

INÊS CANCELIER – Ouro Preto do Oeste, RO

Em meus pensamentos

Criei esconderijos,

Acasalei ideias,

Sufoquei emoções,

Na felicidade de estar

Triste por amar.

 

12.Junho.1993 – M.L.C. Nº 096.

JURANDIR COSTA – Porto Velho, RO

A influência do mestre não

Deixou-me pensar

Não hesitei

Sonhei poder soooonhar

Pen-san-do

 

18.Fevereiro.1994 – M.L.C. Nº 134.

URHACY FAUSTINO – Rio de Janeiro, RJ.

O casulo feito

bicho dentro dele dorme

vestido de seda.

 

26.Março.1994 – M.L.C. Nº 141.

LORETTA EMIRI, Boa Vista, RR

PELES VERMELHAS

Menstruação, a Mulher é vermelha.

Sangue, a luta é vermelha,

Pele, dos yanomami é vermelha.

 

Nas veias da mulher, utopia.

Nas entranhas da luta, esperança.

Na carne amada, sentindo colorido da vida.

 

28.Maio.1994 – M.L.C. nº 152.

SÉRGIO VALENTE – Porto Velho, RO.

Em vez que prender os assassinos, ladrões, estupradores etc., deveriam prender os honestos: são tão poucos que sobraria lugar nas cadeias brasileiras. Rarará.

.

10.Junho.1994 – M.L.C. nº 154.

JOSÉ AILTON FERREIRA “BAHIA”

Ah! Se todos os foliões do país

Se envolvessem numa revolução popular,

Certamente as cinzas seriam outras.

 

8.Julho.1994 – M.L.C. nº 159.

HELI MAIA – Uberaba, MG.

DA PESCARIA

Só nos resta

Pescar estrelas

Com nosso

Caniço de bambu.

 

15.Julho.1994 – M.L.C. nº 160.

HÉLIO COSTA

Se o amor não fosse abstrato

Teus olhos veriam o quanto te amo. _

 

22.Julho.1994 – M.L.C. nº 161.

ORLANDO BRITO – São Luís, MA

ESPERANÇA

No porto dos meus anseios

Esperanças são navios,

Que de manhã partem cheios

E a tarde voltam vazios.

 

5.Agosto.1994 – M.L.C. Nº 164.

MÔNICA BANDERAS – Rio de Janeiro, RJ.

VACCUS

A voz do mundo é oca

Como oca é a voz do útero

Na hora do parto.

 

SIMÃO PESSOA – Manaus, AM

Pó é pólen é poesia:

Palavras jogadas ao vento

Que o silêncio pronuncia.

 

12.Agosto.1994 – M.L.C. Nº 165.

.ANAND RAO – Brasília, DF.

TINTA

A caneta

Escreve poemas de esquerda

Com a mão direita.

 

23.Setembro.1994 – M.L.C. Nº 172.

EDNÓLIA FONTENELE – Estância, SE.

É AMAR OU MORRER

Teu amor é uma navalha

A me ameaçar

Com séculos de indiferença

Ou um minuto de eternidade.

 

26.Novembro.1994 – M.L.C. Nº 184.

MADO – Porto Velho, RO.

AS GRANFINAS

Não tenho muita certeza

Deixo para os ibrains

Esses sabem quanto custa.

 

02,Dezembro.1994 – M.L.C. Nº 185.

RICARDO AQUINO – Rio de Janeiro, RJ.

RESTOS

Meninos e meninas de rua

não são restos de gente,

eles nem cresceram...

 

17.Fevereiro.1995 – M.L.C. nº 200.

APRYGIO NOGUEIRA – Passa Tempo, MG.

Roubaram com tal fervor

Nesse governo passado

Que o novo Governador

Está procurando o Estado.

 

24.Março.1995 – M.L.C. nº 205.

ELMANTOS – Embu das Artes, SP

A poesia é a minha casa

E o resto o meu quintal.

 

1º.Abril.1995 – M.L.C. nº 207.

ISMÊNIA FONSECA FARAONE – Americana, SP

LASCAS

Antigamente

sofria muito

com as “lascas”

hoje... estou tão “lascada”

que podem lascar tudo

que não sinto nada!

 

ESTHER MOURA – Rio de Janeiro, RJ

DESABAFO

Pobre da minha velhice!

Sem apoio ou proteção,

tenho que sobreviver

com um salário de pensão.

 

ILKA MATHEUS – Niterói, RJ

Preciso viver aquilo que mais temo

Preciso viver a experiência

de uma folha ao vento

 

BRITO FILHO – São Paulo, SP

Todo idiota é egoísta, falso, mentiroso,

Interesseiro e muito mais.

Idiotice é uma doença perigosa

Que deve ser tratada imediatamente.

Basta o idiota se tocar.

 

7.Abril.1995 – M.L.C. nº 208.

BENVINDO PEREIRA – Porto Velho, RO

Somos pingos da mesma chuva

 

HERBERT LAGO CASTELO BRANCO – Brasília, DF.

POETA TRANSCENDENTAL

És um pássaro de vidro

e as tuas asas é a imaginação.

Voa! Pássaro prisioneiro

e canta os teus líricos versos

de poeta transcendental

Tens um peito magnético

e memória de cristal

Voa para o oásis,

poeta imortal.

 

IACYR ANDERSON DE FREITAS – Juiz de Fora, MG

DA INUTILIDADE

inútil buscar correspondências

onde o mais se esvazia

inútil a febre por armar-se;

o encanto dessa ilha

acende em nós sua geografia.

 

1º.Julho.1995 – M.L.C. nº 223.

AMÉLIA SPARANO – Rio de Janeiro, RJ

RODÍZIO

Vida, fermento impuro

Da escura terra

e a podridão do adubo

a flor e o fruto,

o pólen e a semente.

E logo,

pétalas murchas,

polpa putrefata

criando adubo

a alimentar a vida.

 

29.Julho.1995 – M.L.C. nº 227.

CELDO BRAGA – Manaus, AM

COISAS DA VIDA

Lembrando histórias do boto

que um caboclo me contou

o boto virava gente!

E gente que era o homem

em que bicho se virou?...

 

16.Setembro.1995 – M.L.C. nº 234.

ALBERTINA MOREIRA PEDRO – Rio de Janeiro, RJ

Pelos caminhos que andares,

separa o joio da espiga,

para que a mão que apertares

não venha a ser inimiga.

 

MARINA DE FÁTIMA DIAS – Campo Grande, MS

No papel

Flores pequeninas...

Suave decoração

Deixo em suas linhas

Flores da inspiração

São meus versos

Ornamentos do coração.

 

23.Setembro.1995 – M.L.C. nº 235.

MERCEDEZ VASCONCELOS – São Paulo, SP.

ANJO

Vi passar por mim

um anjo brilhante

nas mãos carregava

rosas amarelas

inundou meu ser

tal qual uma aquarela!

 

30.Setembro.1995 – M.L.C. nº 236.

OSAEL DE CARVALHO – Rio de Janeiro, RJ

Um pão que se tira da mesa

e em ajuda se oferece.

É benção caída do céu,

como o cantar de uma prece.

 

8.Dezembro.1995 – M.L.C. nº 246.

CLÁUDIO FONSECA – Manaus, AM.

...SALPICAVAM NOSSO CHÃO

A porta do barraco

era sem trinco.

Dentro, os meninos metralhados!

Trapos coloridos

do Brasil, florão da América,

ao sol do Novo Mundo

iluminados.

 

30.Dezembro.1995 – M.L.C. nº 249.

LEONILDA HILGENBERG JUSTUS – Ponta Grossa, PR

SAUDADES

Prendi a saudade

no varal

da conformação.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS