DESOCUPAÇÃO - Sindicato dos jornalistas perde sede no Estádio “Aluizão” - Rondoniaovivo.com - NOVO TELEFONE: (69) 3229-8673 A desocupação deve ocorrer normalmente durante todo o dia de hoje e amanhã, conforme determinação judicial, com acompanhamento da polícia que deve manter a ordem para que tudo seja feito conforme decisão.

Anterior

Francisco Meireles poderá receber livros de Universidade

13/08/2013

Anterior

Próxima

SORPAN - Líder em produtos para panificação e sorveterias

13/08/2013

Próxima
Página Inicial
Rondônia ,
Twitter Rondoniaovivo.com YouTube Rondoniaovivo.com Facebook Rondoniaovivo.com Rss Rondoniaovivo.com

DESOCUPAÇÃO - Sindicato dos jornalistas perde sede no Estádio “Aluizão”

Terça-Feira, 13 de Agosto de 2013 / 15:31 - Atualizado em Terça-Feira, 13 de Agosto de 13 / 15:48

A juíza da 1ª Vara da Fazenda Pública de Porto Velho, Inês Moreira da Costa, decidiu em março deste ano a retirada das entidades que ocupam o entorno do Estádio Aluizio Ferreira, o “Aluizão”, o que inclui entre elas, as de denominações ligadas ao esporte, como: Federação Paraolímpico de Rondônia, Conselho Regional de Educação Física, Sindicato dos Árbitros de Futebol, Associação de Corredores de Rua de Rondônia , Federação Rondoniense de Voleibol, Associação dos Árbitros de Futsal e Federação de Atletismo. E também o Sindicato dos Jornalistas do Estado de Rondônia (SINJOR), sede que está há décadas ocupando o local. Porém hoje de manhã um contingente da Polícia Militar esteve no estádio para lembrar aos representantes de entidades que o prazo para a retirada de todos é até esta quarta-feira (14).

A magistrada Inês Moreira da Costa, foi quem condenou os ex-governadores Ivo Narciso Cassol e João Aparecido Cahulla ao pagamento de perdas e danos, consistentes em todas as despesas financeiras (como passagens e diárias) bancados pelo Estado de Rondônia em decorrência de quaisquer medidas de segurança implementadas em benefício deles (Ivo Cassol e João Cahulla) ou seus familiares.

A desocupação deve ocorrer normalmente durante todo o dia de hoje e amanhã, conforme determinação judicial, com acompanhamento da polícia que deve manter a ordem para que tudo seja feito conforme decisão. Sabe-se que foi feito um pedido de intervenção junto ao governador Confúcio Moura para impedir que a ação fosse efetivada, o que, no entanto, acabou não surtindo efeito.

O espaço onde ficam os imóveis passará por uma ampla reforma e por isso a justificativa da necessidade da retirada das entidades do lugar.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Jornalistas, Carlos Alencar, sobre a reforma feita pela própria entidade que investiu em melhorias em sua sede, disse que não vai ter o retorno desse dinheiro investido. “O dinheiro investido confiando no Governo e esse mesmo Governo que nos autorizou a fazer a reforma na nossa sede agora nos tira dessa forma”, completou Alencar.

 

Fonte: Rondoniaovivo - Foto: Jota Gomes/Diário da Amazônia

3 Comentários Comentar Notícia

  • Manoel Richard14/08/2013 - Porto Velho

    Bom dia.
    Antes de cornetar,gostaria de saber se o Sindicato estava pagando aluguel,água,luz e Iptu? Se não estava pagando nenhum desses acima já tinha que ter tido a ombridade de ter saído há muito tempo.Como uma classe que defende a moralidade com unhas e dentes estar se beneficiando de um bem público para fins próprios? e Digo mais as reformas que foram feita,não foram mais que uma obrigação.

  • ANTÔNIO CARLOS14/08/2013 - porto velho

    Futebol em Rondônia tinha que parar de fazer de conta e encerrar esse ciclo vergonhoso que só serve para enriquecer cada vez mais alguns políticos corruptos, dentre eles, um que está a mais de 10 anos no poder e nunca fez nada pelo futebol rondoniense. No caso da reportagem se for para melhorar, dar melhores condições de trabalho aos jornalistas, mudando para um local apropriado e estruturado, é mais do que justo esse despejo.

  • gustavo oliveira14/08/2013 - porto vekho

    Só se perde o que se tem e o Aluisão nunca foi do sindicato e nem das federações.Ali é para pratica de futebol e espero que o Estado assuma sua responsabilidade, dotando a capital de um local digno para receber partidas de futebol.

Últimas Notícias

Veja Mais

Publicidades