TRANSPOSIÇÃO – Negociações avançam em Brasília - Rondoniaovivo.com - NOVO TELEFONE: (69) 3229-8673 TRANSPOSIÇÃO – Negociações avançam em Brasília

Anterior

Veículo capota em curva na Vila Princesa

16/01/2014

Anterior

Próxima

OPERAÇÃO ZAGAN - MPF denuncia 21 pessoas envolvidas

16/01/2014

Próxima
Página Inicial
Rondônia ,
Twitter Rondoniaovivo.com YouTube Rondoniaovivo.com Facebook Rondoniaovivo.com Rss Rondoniaovivo.com

TRANSPOSIÇÃO – Negociações avançam em Brasília

Quinta-Feira, 16 de Janeiro de 2014 / 17:43

A Procuradoria Geral do Estado de Rondônia (PGE), por meio de pareceres e farta documentação, apresentados à Advocacia Geral da União (AGU), comprova que não houve quebra do vínculo empregatício, quando da reintegração dos demitidos durante o governo de José de Abreu Bianco.

Os documentos e pareceres esclarecendo os últimos questionamentos sobre a transposição dos funcionários do estado de Rondônia, para o quadro federal, foram encaminhados, nesta quarta-feira (15), em reunião realizada na Casa Civil, em Brasília, com o chefe de gabinete, Leones Dall'Agnol, onde se buscou marcar uma audiência com a Ministra Chefe da Casa Civil, Gleisi Helena Hoffmann, a fim de dar celeridade ao processo da transposição.

Com a apresentação, via protocolo na Advocacia Geral da União (AGU), do documento contendo mais de 30 laudas, emitido pela Procuradoria Geral do Estado de Rondônia (PGE) em que, por meio de pareceres e farta documentação, comprova que não houve quebra do vínculo empregatício, quando da reintegração, pela lei 1.196 de 09 de abril de 2003, dos demitidos pelo decreto 8.954 de 17 de janeiro de 2000, durante o governo de José de Abreu Bianco.

O procurador da PGE, Luciano Alves, juntamente com os também procuradores Elder Guarnieri e André Barros, formularam o documento comprobatório que elimina mais este entrave ao andamento da transposição. A reunião pleiteada para o início de fevereiro com a ministra Gleisi Hoffmann, segundo Luciano, “tem como objetivo colocar todos os envolvidos no processo em uma mesma sala e zerar as pendências para, enfim, concluirmos esse longo processo que envolve esse contingente enorme de servidores”, conclui.

O levantamento histórico mostra que, ao demitir compulsoriamente os quase 10.000 servidores, o então governador do Estado, provocou dezenas de ações perante o Poder Judiciário. Em Mandado de Segurança, embora tenha considerado legal o ato exonerativo do governo, o Superior Tribunal de Justiça (STJ), fixou indenização de 01 (um) mês de remuneração por ano de efetivo exercício da função, a ser paga aos demitidos.

Complementando, o Advogado Domingos Borges da Silva diz que essa decisão poria fim nos litígios decorrentes das demissões. Entretanto, o que seria ato acertado da administração pública, ensejaria outro que dava um alento aos servidores. Através da Lei estadual nº 1.196, o estado de Rondônia, fez instituir direito valido aos demitidos a partir de sua edição, cujo poderia ser exercido através de “Acordo”, para “Reintegração” aos quadros efetivos da administração pública estadual.

Até hoje, dos quase 10.000 funcionários contratados até 1981, quando Rondônia ainda era Território Federal, 9.500 já estão aptos a serem inseridos no quadro de servidores da União, via transposição. Desses, 33 foram já foram transpostos, assim como 433 policiais militares, por via judicial.

Participaram da reunião, além do chefe de gabinete da Casa Civil, Leones Dall'Agnol, e dos procuradores Elder Guarnieri e André Barros, da PGE, a deputada federal Marinha Raupp e vários representantes de sindicatos ligados aos servidores a serem transpostos.

Fonte: Decom/RO

3 Comentários

Comentar Notícia

  • norma silveira 17/01/2014 - porto velho

    Nos Rondonianos não temos politicos de peso. Temos um senador que dizem que é presidente do pmdb( O Raaup)que mais pacere um adorno de sala de visita ou uma escultura que não se mexe e nem fala, só estar ali como enfeite.Daqui mando um recado para este sr. que descontou indevidamente do meu salario para o Iperon e até hoje não me foi devolvido isto aconteceu quando ele era governador. Acho que o sr. senador não consegue nem falar com A presidente Dilma.

  • manoel g.f.n 17/01/2014 - porto velho

    epa.. perai, estes 434 pms não foi contratado, mas sim feito concurso publíco por isto que foi reconhecidos, e os 33 agentes penitenciario e civil, também são concursados

  • geraldo gonçalves ferreira 16/01/2014 - porto velho

    Esses 33 servidores que,na materia cita como transpostos,não e verdade apenas foi publicado no diário da união,reconhecendo o vinculo,porem ate a presente data todos continua na folha de pagamento do estado,a samf,nem fez a inclusão destes servidores,como siapnet..etc..essa materia e mentirosa ,neste sentido..porque não publica a verdade?para população?

Últimas Notícias

20:38

Mitsubishi Outlander 2016 chega repaginado e com motor a diesel

20:28

Quase 10 mil pessoas participam do dia do desafio

20:14

Universidades Federais entram em greve em 12 estados

20:01

Manifestações devem parar o país nesta sexta (29)

19:41

Pescadores pedem apoio do governo do estado

19:32

Caerd segue com campanha de renegociação de dívidas

19:24

HB comemora primeiro ano de transplante de rim

19:18

Foragido é preso após abordagem da PRF

19:08

Bairro ganha Parque construído pelo governo

17:57

Professor é aceito para estágio de doutorado na universidade da Europa

17:46

Empresário morre esmagado contra porteira de fazenda

17:36

Polícia Civil elucida mais um homicídio e prende homicida confesso

17:24

Retroescavadeira derruba poste e provoca acidente na BR 364

17:21

Diário Oficial do TCE Nº 920 (28/05/2015)

17:19

Diário Oficial RO - 27/05/2015

17:18

Biblioteca Municipal recebe integrantes do Projeto Aluno Monitor

17:17

Satanás, protetor de Porto Velho - Por Professor Nazareno

17:17

Diário da Justiça 096/2015 (27/05/2015)

16:58

Prefeitura limpa terreno que receberá obras do Hospital Regional

16:49

TRE nega pedido de cassação do deputado Aelcio da TV

16:45

Ministro do TSE faz abertura de Pós-graduação na uniron

Veja Mais

Publicidades