close
logorovivo2

Servidores do Sistema Penitenciário e Socioeducativo deflagram greve em todo o estado

Os servidores da Secretaria de Estado de Justiça de Rondônia (Sejus) deflagraram greve em todo o estado nesta quinta-feira (29). A decisão foi tomada pela maioria em Assembleia Geral Extraordinária ocorrida simultaneamente e de forma inédita em Porto Velh

DA REDAÇÃO

30 de Setembro de 2011 às 07:41

Servidores do Sistema Penitenciário e Socioeducativo deflagram greve em todo o estado

FOTO: (Divulgação)

Os servidores da Secretaria de Estado de Justiça de Rondônia (Sejus) deflagraram greve em todo o estado nesta quinta-feira (29). A decisão foi tomada pela maioria em Assembleia Geral Extraordinária ocorrida simultaneamente e de forma inédita em Porto Velho, Guajará-Mirim, Ji-Paraná, Rolim de Moura e Vilhena. A paralisação inicia neste sábado (01), a partir das 8h. As categorias rejeitaram a última proposta salarial do Governo que previa o pagamento de auxílios no total de 400 reais e o envio do Plano de Carreiras, Cargos e Remuneração (PCCR) somente após a transposição dos servidores para o quadro federal. Na ocasião, o presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários, Socioeducadores, Técnicos Penitenciários e Agentes Administrativos Penitenciários do Estado de Rondônia (Singeperon), Anderson Pereira, informou que todas as possibilidades foram esgotadas nas negociações com o Estado, onde os servidores pediam um vencimento básico de R$ 1.830,00 e a implantação do PCCR a partir de janeiro de 2012.

“O sindicato fez seu papel. Negociou. Levamos para a categoria analisar as propostas, que chegou a suspender o movimento grevista por duas vezes, mas o Governo descumpriu seguidamente com os compromissos firmados. Agora a maioria decide que a única maneira de garantir a valorização da profissão é pela greve”, disse o presidente. Anderson destacou também a transparência adotada pela Diretoria ao realizar a Assembleia de forma simultânea nos municípios. “Nosso objetivo foi proporcionar às categorias a participação efetiva nas decisões de interesse de todos. Isso nunca ocorreu na história do Singeperon”, enfatizou.

Durante a Assembleia, os agentes mostraram-se indignados com a postura do Governo em insistir em não melhorar os vencimentos dos cargos. A maioria cobrou respeito e reconhecimento pela profissão que é considerada pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) como a segunda mais perigosa do mundo. “Rondônia, paga o pior salário do Brasil para o agente penitenciário”, lembrou alguns filiados na ocasião. Com o início da greve neste sábado, os dias de visitação aos apenados poderão ser prejudicados. Somente os serviços essenciais serão mantidos nas unidades prisionais e socioeducativas, por exemplo refeições, procedimentos médicos de urgência e emergência. Já o recebimento de presos das delegacias, escoltas aos Fóruns, atendimento a advogado, banho de sol, atividades laborais e escolares serão paralisados, conforme foi deliberado na Assembleia. Na pauta de greve, além das reivindicações relacionadas ao PCCR, foram definidos mais 11 itens que visam a melhoria das condições de trabalho e pagamento de adicionais que já são direito adquirido.

*Aos leitores, ler com atenção*

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS