close

Travesti presa é acusada de participação na execução de rival em Brasília

Carolina Andrade é acusada de participar do assassinato a golpes de facão da travesti Ágatha. Ela e mais três são procuradas pela Justiça

DA REDAÇÃO

19 de Julho de 2017 às 05:00

Travesti presa é acusada de participação na execução de rival em Brasília

FOTO: (Divulgação)

Uma das travestis presas em flagrante na tarde desta segunda-feira (17), em Manaus, após ameaçar e roubar um cliente, é acusada de ter participado da execução a golpes de facão de uma travesti identificada como Ágatha no dia 26 de janeiro deste ano, em Brasília. A informação foi confirmada pelo delegado Jone Clay, titular do 18° Distrito Integrado de Polícia (DIP), onde o caso de Manaus está sendo investigado. 

De acordo com o delegado, o nome de nascimento de Carolina Andrade não é Samuel Ferreira Gonçalves, 23, como divulgado anteriormente, mas sim Daniel Ferreira Gonçalves. O delegado não descarta a possibilidade da outra travesti envolvida no caso de Manaus ter participado do crime de Brasília. Até então, ela foi identificada pelo nome de nascimento Luan das Graças Pinto, 18.

 

CILADA - Empresário sai para programa sexual com travestis e leva surra

 

Execução de travesti porto-velhense, revela mega-esquema de prostituição

 

 

Entenda o caso de Brasília

Registrada como Wilson Julio Suzuki Júnior, 23, Ágatha foi executada a golpes de facão dentro de uma central de distribuição dos Correios, próximo ao local onde ela costumava fazer ponto no Setor de Indústrias de Taguatinga Sul, em Brasília. 

A execução dela foi filmada pelas câmeras de segurança do local. Segundo informações de portais e jornais de Brasília, testemunhas relataram que o assassinato foi motivado por inveja, vingança e disputa por ponto de prostituição. A Delegacia Especial de Repressão aos Crimes por Discriminação Racial, Religiosa ou por Orientação Sexual, ou Contra a Pessoa Idosa ou com Deficiência (Decrin) é quem investiga o caso.

Os policiais da unidade conseguiram identificar as quatro travestis que invadiram os Correios e esfaquearam a vítima até a morte.

Todas tiveram mandados de prisão expedidos pela Justiça e são consideradas foragidas. Além de Carolina, Samira (Francisco Delton Lopes Castro), Lohanny Castro (Dayvison Pinto Castro) e Bruna Alencar (Greyson Laudelino Pessoa) são acusadas de armar uma emboscada e matar a vítima.

*Aos leitores, ler com atenção*

Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove o contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS