close

ENERGISA: Com intervenção de Léo Moraes, ANEEL indefere aumento na conta de luz

De acordo com a solicitação feita à ANEEL, o aumento se daria a partir do mês de fevereiro de 2020

ASSESSORIA

15 de Outubro de 2019 às 14:37

ENERGISA: Com intervenção de Léo Moraes, ANEEL indefere aumento na conta de luz

FOTO: (Divulgação)

Na tarde desta terça-feira (15) a conselho diretor da ANEEL indeferiu a solicitação da distribuidora de energia elétrica em Rondônia, ENERGISA, de aumentar a tarifa no Estado, isso após a forte interferência do deputado Léo Moraes (PODE) que desde o início do ano vem buscando meios de impedir o que ele considera como abuso da empresa contra os rondonienses.

 

De acordo com a solicitação feita à ANEEL, o aumento se daria a partir do mês de fevereiro de 2020. Segundo o deputado Léo Moraes foi impedido mais um “assalto legalizado” contra o cidadão de Rondônia.

 

Veja mais:

 

ENERGISA: Léo Moraes encara diretoria da ANEEL e afirma que “o pior está para acontecer”

 

“Esse ano não teremos outro reajuste, outro abuso cometido pela Energisa, fomos mais uma vez muito incisivos ao caos social que está instalado no estado de Rondônia”, afirmou o deputado federal Léo Moraes.

 

Pressão na ANEEL

 

Em sua nova fala à diretoria da ANEEL, Léo Moraes afirmou à diretoria da agencia todos os pontos controversos relacionados a esse contrato com e Energisa, que é extremamente oneroso à população.


“Nós deixamos claro que não aceitamos aumento agora e nem depois, isso é só o começo, pois vamos lutar a ferro e a fogo para diminuir essa tarifa. Deixei claro que a empresa está repassando para a população sua falta de capital de giro e aí não tem concorrência e fica muito fácil”, disse Léo Moraes.

 

União

 

Para Léo Moraes esse é o momento da sociedade rondoniense se unir para deixar claro para essa empresa que a população não irá aceitar mais uma vez ser enganado por Brasília, sendo que essa é a única maneira de resolver esse problema.


“Essa foi uma vitória do povo de Rondônia, vamos nos mobilizar, produzimos grande parte da energia elétrica brasileira e para nós ficou apenas o pior”, finalizou Léo Moraes.

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA
RONDONIAOVIVO TV
DESTAQUES EMPRESARIAIS
PUBLICAÇÕES LEGAIS
COLUNAS